Atletas paralímpicos em piscina de natação
Tempo estimado: 03:20 min (664 palavras, 4011 caracteres)

Uma nova funcionalidade desenvolvida pela Bigmidia para o Sistema de Gestão Esportiva (SGE) vem revolucionar a classificação funcional no esporte paralímpico brasileiro. A ferramenta automatiza todo o processo realizado pelos classificadores, tornando os procedimentos mais ágeis, seguros e confiáveis. O aplicativo permite moldar os parâmetros de acordo com os critérios específicos e métodos de avaliação de cada modalidade esportiva.

Segundo o sócio da Bigmidia Daniel Carvalho, essa tecnologia é pioneira e representa uma possibilidade de grande avanço para as entidades e para os esportes paralímpicos. “Até hoje, o procedimento de classificação dos atletas é todo manual. Com essa nova solução, todo o processo será por meio digital, garantindo segurança e confiabilidade dos dados”, ressalta.

A ferramenta do Sistema de Gestão Esportiva é moldada com base na ficha de classificação que é usada para cada esporte. Dessa forma, torna dispensável uso de vários formulários e relatórios em papel. “A plataforma contribui para uma maior organização dos procedimentos pelas entidades, economia de materiais, agilidade e ainda é um avanço em termos de sustentabilidade ambiental”, complementa o também sócio da Bigmidia Zac Zappellini.

Nova funcionalidade do SGE pode ser usada na classificação funcional de todos os esportes paralímpicos

A Bigmidia possui conhecimento e experiência para desenvolver uma solução de classificação funcional para o esporte paralímpico exclusivo para cada entidade. A Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa) já começou a por em prática essa nova aplicação em seu SGE. O Sistema de Gestão Esportiva da Bigmidia incorporou todos os parâmetros e critérios específicos da classificação de atletas paralímpicos da canoagem.

O corpo técnico da CBCa já realizou testes na plataforma disponível para dispositivos Android. O aplicativo para o sistema operacional IOS será liberado na loja da Apple nas próximas semanas.

“Hoje, existe uma preocupação com a responsabilidade e segurança dos dados dos atletas. Com a classificação feita em papel, é preciso escanear ou transcrever as informações para um banco de dados seguro. Na canoagem paralímpica, esse software que foi desenvolvido é uma inovação. Ele traz segurança, organização, economia de papel e facilita o trabalho do classificador”, afirma a chefe de Classificação Funcional da Federação Internacional de Canoagem (ICF), Fátima Fernandes

O classificador que possuir o login no sistema poderá usar o próprio celular para incluir os dados. Eles serão armazenados em segurança no banco de dados da confederação. Além disso, a plataforma é intuitiva e fácil de operar. “O Software alia a expertise do classificador com a tecnologia. Esse é o futuro”, complementa Fátima Fernandes.

Como é a classificação no esporte paralímpico

A classificação é o processo que verifica a deficiência e o comprometimento do atleta que seja relevante para o desempenho esportivo em cada modalidade. Há avaliações quanto às deficiências visual, intelectual e funcional.

Para participar de uma competição paralímpica, o atleta precisa ter uma deficiência que esteja enquadrada entre as definidas como elegíveis pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC) para aquela modalidade específica. Depois, o esportista passa por exames físicos, avaliações funcionais e testes técnicos na prática da modalidade. O objetivo é verificar o grau de deficiência para poder enquadrá-lo em categorias com atletas que possuem o mesmo nível comprometimento das funções.

Modernize-se e esteja sempre na frente

O SGE da Bigmidia é uma ferramenta completa para as confederações e demais entidades desportivas. Com mais de 13 anos de experiência, temos uma equipe qualificada para entender os seus processos e automatizá-los de forma eficiente e eficaz.

Entre em contato agora pelo (31) 3789-2322, pelo e-mail [email protected] ou clique aqui e fale conosco pelo WhatsApp e tire todas as suas dúvidas!