Setembro Amarelo
Tempo estimado: 02:22 min (472 palavras, 2851 caracteres)

O Dia Mundial de Prevenção do Suicídio é um movimento de conscientização dedicado a dar suporte às pessoas que estão passando por dificuldades e pensam em tirar a própria vida. Desde 2003, cerca de 40 países realizam eventos e campanhas de sensibilização à causa. No Brasil não é diferente. Em uma iniciativa do Centro de Valorização da Vida, em 2015 foi criado o Setembro Amarelo. O mês inteiro dedicado a iniciativas de prevenção ao suicídio. Como parte de uma gestão esportiva eficiente, é papel do gestor compreender os efeitos do esporte no combate à depressão.

Setembro Amarelo: Se você precisa de ajuda, se quer conversar com alguém, ligue para o número 188 (24 horas – ligação gratuita), o Centro de Valorização da Vida.

O esporte é carregado de sentimentos, sobretudo vitórias, derrotas, superação, frustrações, dentre outros. Isso é ainda mais verificável no desporto de alto rendimento. Sendo assim, atletas que alcançam a elite esportiva têm uma vida desgastante, de muita disciplina, esforço e renúncia. Toda essa pressão sobre o atleta, muitas vezes exercida em ambiente hostil, na busca de conquistas esportivas, pode induzir a um quadro depressivo. Por isso é tão importante aproveitar o marco do setembro amarelo para conversar abertamente sobre o assunto.

O Esporte e a Prevenção do Suicídio – Setembro Amarelo

O esporte nos oferece o desenvolvimento de diversos elementos psicológicos. Uma das principais filosofias que embalam o esporte e toda a sua comunidade é o Olimpismo. Sabemos também que o esporte nos oferece diversos outros benefícios. Mas de que forma a prática esportiva pode funcionar como ferramenta de prevenção ao suicídio? Em 2005, mais de 5 mil universitários dos Estados Unidos participaram de uma pesquisa de Comportamento de Risco para Saúde. Surpreendentemente, os participantes que praticavam algum tipo de modalidade esportiva foram menos propensos a relatar comportamento suicida. Sobretudo, os homens que participaram de atividades esportivas foram 2,5 vezes menos propensos a relatar comportamento suicida. Já as mulheres, 1,67 vezes menos propensas, quando comparados ao grupo que não aderiu a nenhuma prática esportiva.

Além de promover benefícios à saúde mental, exercícios físicos produzem efeitos positivos sobre a saúde do organismo. Dentre eles melhoria do funcionamento do sistema cardiorrespiratório e redução da obesidade. O fomento à prática de esportes é relativamente barato e acarreta pouquíssimos efeitos colaterais indesejáveis, se comparados ao uso de fármacos para o tratamento de depressão. A indústria do esporte precisa começar a utilizar o setembro amarelo e promover o esporte como ferramenta eficaz de prevenção ao suicídio. Sendo assim, conseguiremos induzir as pessoas a apresentar um comportamento mais saudável, com benefícios inegáveis a corpo e mente.